Assim como empresas, condomínios precisam de objetivos e metas muito bem definidos. Para isso é fundamental um bom planejamento anual para a gestão do condomínio.

Por ser uma ferramenta de extrema importância, o planejamento do condomínio, deve ser elaborado com o envolvimento de todos deste ambiente: membros do corpo diretivo, funcionários e claro o síndico. E necessário também refletir sobre o histórico do condomínio. Quais foram os problemas que o condomínio teve de lidar na última assembleia geral? (AGO). Que aprendizado pode ser retirado dessas experiências anteriores? Analisar o passado permite compreender a situação atual do condomínio e projetar objetivos para o futuro.

 

Ao estruturar um planejamento anual para gestão do condomínio, é preciso seguir os seguintes passos:

 

Entender a situação atual do condomínio

Deve-se fazer uma avaliação sobre como está a saúde financeira, estrutura física e a segurança do imóvel. Também é importante refletir sobre a qualidade da comunicação e do relacionamento entre os condôminos.

Nesse momento, nada melhor do que ouvir os moradores e funcionários, faça uma pesquisa de opinião para descobrir quais são os problemas, insatisfações e ideias para melhoria do condomínio. Uma sugestão é que nas assembleias ordinárias além da previsão orçamentaria, sejam inclusos os itens de para a melhoria do condomínio, e que assim que sejam aprovadas separadamente da cota ordinária, uma vez que esses custos não irão se repetir no próximo ano e não devem se misturar com outros custos, fica bem mais controlado e detalhado o planejamento financeiro do condomínio.

 

Definir objetivos e metas claras

Para cada problema, estabeleça os objetivos que o condomínio quer alcançar e, a partir disto, monte planos de ação. Para deixar mais claro, montamos um exemplo:

Problema: Aumento de furtos no condomínio

Objetivo: Reduzir os furtos nos próximos seis meses.

Plano de ação: Implantar um sistema de gestão de condomínio e controle de acessos.

Cada plano de ação deverá vir acompanhado de metas. Utilizando o exemplo como base, as metas poderiam ser:

  • Conseguir a aprovação de 80% dos condôminos em uma assembleia;
  • Levantar R$ 3.000,0 reais em três meses para contratar e implantar o serviço;
  • Identificar, no mínimo, 90% das pessoas que entram e saem do condomínio.

Também deve-se identificar se este será um planejamento anual ou a longo prazo para o condomínio.

 

Divulgar o planejamento e aprová-lo pela assembleia

Após concluído, o planejamento não pode ficar esquecido na gaveta! O planejamento do condomínio precisa ser divulgado aos condôminos. Para isso, utilize os principais meios de comunicação do condomínio, como o site do condomínio ou da administradora, quadros de anúncios, circulares etc…

 

Acompanhar e otimizar os resultados

 

 

Após a aprovação pela assembleia, é o momento de colocar o planejamento em prática. Estude novamente o plano e pense como adaptá-lo à sua rotina como sindico levando em consideração os prazos estabelecidos.

Mantenha a transparência e ofereça um acompanhamento periódico das atividades aos condôminos apresentando a evolução e resultados da sua gestão. A organização da gestão condominial é o maior legado que um síndico pode deixar. Afinal, com uma administração organizada, o sucesso é consequência.

 

Fonte: TownSQ