Segurança em condomínios

Segurança é a prioridade para todos; com o aumento da violência nas cidades, cada vez mais famílias procuram alternativas para viver em segurança. Uma delas é justamente morar em condomínio, contando ter uma maior privacidade e se distanciar dos perigos do dia-dia.

Com o avanço da tecnologia, inúmeras opções de vigilância em condôminos estão à disposição desde de câmeras de monitoramento, alarmes, cercas elétricas, acessos com biometria e etc…

Mas por si só aparelhos de segurança não impedem situações de furtos e invasões, colaboração de moradores e funcionários é ainda a ferramenta mais importante para a segurança em condomínios.

 

Confira algumas dicas importantes para ter uma boa segurança em seu condomínio.

 

1. Profissionais especializados

Contar com profissionais capacitados é fundamental para segurança em condomínios. Por isso, na hora de contratar deve se levar em conta referências, o currículo e as habilidades de cada profissional.

Zeladores, porteiros e seguranças devem demonstrar conhecimentos específicos e atualizados, sabendo aplicar medidas preventivas de segurança; evitando assim que o condomínio fique vulnerável e compensando possíveis limitações de recursos com técnicas eficazes.

 

2. Faça uso de segurança eletrônica

 

Hoje em dia já é possível usar a tecnologia em pró da segurança. Existem inúmeros dispositivos de segurança eletrônica que contribuem com as atividades dos vigilantes e porteiros.

Nesse sentido, alguns bons investimentos são as câmeras 24 horas, sistemas de alarme integrados a uma central de atendimento, diferentes tipos de sensores, mecanismos automáticos que coíbem o acesso de pessoas e assim por diante.

 

3. Controle a entrada de pessoas

 

O controle para visitantes deve ser rigoroso, uma vez que muitos dos crimes acontecem porque os moradores abrem as portas para o criminoso. É fundamental todo visitante se identificar na portaria, e sua presença deve ser autorizada pelo morador do condomínio.

No caso da visita de prestadores de serviços, como fiscalizadores, instaladores, entregadores e outros profissionais, o controle deve ser o mesmo, exigindo identificação e confirmando se condôminos ou funcionários estão aguardando sua chegada.

A identificação é uma garantia sobre a idoneidade do profissional, seja ele um policial, um médico, um técnico de consertos ou outro. Contudo, muitos assaltantes já costumam falsificar identificações ou se disfarçar como determinados profissionais para facilitar sua entrada em condomínios — isso exige maior controle no acesso de pessoas.

4. Monitoramento do tráfego de veículos

A garagem é a grande porta de entrada para quadrilhas especializadas em roubo de condomínios. Com isso, é mais do que necessário ter atenção redobrada com o tráfego de carros.

Quanto a isso, uma medida a ser adotada é a identificação de todos os carros que entram ou saem das garagens. No caso de visitantes, deve haver, sem exceções, uma expressa comunicação do morador autorizando a entrada do veículo.

E, quando se tratar de moradores, a garagem só deve ser aberta a partir de contato visual com o porteiro. Essa deve ser, inclusive, uma orientação a ser repassada a todos os funcionários da portaria.

 

5. Procedimentos emergenciais

 

Casos de emergência podem acontecer. Por isso, é conveniente ter telefones úteis por perto ou senhas para acelerar a comunicação entre condôminos e funcionários, como vigilantes e porteiros.

Assim, caso um morador, por exemplo, sofra uma tentativa de assalto em seu carro, poderá contatar o segurança através de uma senha específica, pedindo ajuda. Caso ocorra um problema dentro de algum dos apartamentos, o morador também terá meios ao alcance para solicitar ajuda.

 

Com o post de hoje esperamos ter trazido os melhores esclarecimentos sobre segurança em condomínios. Fique atento a todas as nossas dicas e passe a adotá-las na gestão da segurança de seu prédio.

 

 

Fonte: http://blog.seguridade.com.br/7-dicas-para-melhorar-a-seguranca-em-condominios/